Por Alisson, PR7GA

Neste texto, você obterá informações básicas sobre o Radioamadorismo. Estes são os tópicos abordados:

  • O QUE É
  • COMO COMEÇOU
  • ATUAÇÃO EM EMERGÊNCIAS
  • DX: VENCENDO DISTÂNCIAS PELO RÁDIO
  • RADIOAMADORISMO NA EDUCAÇÃO
  • COMO TORNAR-SE RADIOAMADOR
  • COMO FAZER AS PROVAS
  • CONECTANDO-SE A OUTROS RADIOAMADORES
  • SOBRE O AUTOR


O QUE É


Radioamadorismo é um hobby técnico científico, exercido por amadores (pessoas comuns) licenciados/autorizados pela Anatel sem objetivo comercial, político ou religioso, com o intuito de aprendizado pessoal, serviço à comunidade e auxílio em comunicações de emergência, dentre inúmeros outros usos. Não está restrito a raça, preferência política, religião, ou mesmo escolaridade. 

Nem mesmo a deficiência física é impeditivo para o Radioamadorismo, pois existem inúmeros colegas que têm algum tipo ou grau de deficiência física e mesmo assim praticam o hobby sem problema algum. Meu saudoso pai  (Gabmar Cavalcanti, PR7GA) e meu tio (Ogírio Cavalcanti, PR7OC), ambos deficientes visuais, são exemplos que tenho apenas em minha família.

O radioamador identifica-se, na parte técnica, com o que hoje se conhece como "movimento maker", no sentido de que gosta de fazer e construir coisas com suas próprias mãos e conhecimentos,  especialmente equipamentos de rádio, antenas, e outros acessórios.

Desde o início do século XX, quando os primeiros Radioamadores começaram suas descobertas, o Radioamadorismo tem encurtado a distância que separa os povos, fomentando amizades e trocas de experiências entre pessoas das mais variadas e diferentes culturas do mundo. Pode-se dizer que o Radioamadorismo foi a primeira "rede social" de alcance mundial.

Veja o vídeo abaixo, que contém um resumo em poucos minutos do que o radioamadorismo é e oferece a seus praticantes:




COMO COMEÇOU




O Radioamadorismo começou junto com a era do rádio, que se iniciou com os experimentos de Heinrich Hertz, nos anos de 1880. O fascínio que as recém descobertas "ondas hertzianas" gerou nos curiosos de então rapidamente levou-os a se aventurarem neste novo campo.


Embora o mundo reconheça o italiano Guglielmo Marconi como o "inventor do rádio", os Radioamadores brasileiros apontam o padre brasileiro Roberto Landell de Moura como o pioneiro das telecomunicações e Patrono do Radioamadorismo no Brasil. Incontestavelmente, ele foi o primeiro a inventar, testar e patentear um dispositivo capaz de transmitir a voz humana, quase duas décadas antes de Marconi.


Pe. Landell e seu invento que permitia transmitir 
a voz humana décadas antes de Marconi


ATUAÇÃO EM EMERGÊNCIAS



Por seu caráter altruístico, o Radioamadorismo sempre cumpriu um papel de auxílio e apoio nas radiocomunicações em tragédias ou necessidades urgentes. Há inúmeras histórias de pessoas salvas pelos esforços de Radioamadores que auxiliaram nas comunicações, pois quando ocorrem desastres normalmente a infraestrutura de comunicações é destruída ou seriamente danificada. Da mesma forma, nem sempre a rede comum está presente em todo o lugar.

Um exemplo emblemático foi o que ocorreu em 11/09/2001, quando terroristas atacaram os EUA e causaram o colapso das comunicações nas cidades atingidas pelos atentados. Naquela ocasião, o radioamadorismo proveu comunicação de emergência para as equipes de resgate quando celulares, internet e até o próprio sistema de rádio da polícia e bombeiros entrou em colapso. Infelizmente, seis colegas que prestavam este serviço estão entre os milhares que pereceram naquele dia fatídico.

No Brasil, também temos um exemplo recente. Em 2011, durante a tragédia que se abateu sobre a região serrana do Rio de Janeiro, um grupo de radioamadores locais, a ROER - Rede e Operações de Emergência de Radioamadores exerceu um papel fundamental. Eles instalaram e mantiveram funcionando um sistema de radiocomunicação de emergência que muito auxiliou as equipes de resgate na região, caracterizada por locais de difícil acesso. Veja uma reportagem da GLOBONEWS da época:




Por este trabalho, a ROER recebeu um prêmio internacional, o "The Golden Antenna", oferecido desde 1982 na cidade de Bad Bentheim, na Alemanha, a radioamadores que se destacam em ações humanitárias.


Prêmio recebido pela ROER pela sua atuação em 2011


A nível nacional, foi criada por uma portaria ministerial em outubro de 2001 a RENER - Rede Nacional de Emergência de Radioamadores, que neste momento passa por uma reorganização. Temos iniciativas parecidas por parte de estados (REER-SP e REER-PR) e municípios brasileiros para organizar e gerir uma rede de radioamadores que possa atuar em situações de emergência.

DX: VENCENDO DISTÂNCIAS PELO RÁDIO



Como lazer e hobby, o radioamadorismo também oferece muitas oportunidades na área do DX. A sigla, que tem o significado de "distância", é uma modalidade onde os radioamadores trocam contatos entre cerca de 340 localidades no mundo, em todos os países do globo, sendo que muitas delas são extremamente difíceis de conseguir. Cada local contactado é "colecionado", como se fosse um álbum de figurinhas.


Mapa com os países e locais que são "colecionados"
pelos radioamadores. Clique para ampliar.


Para tanto, esses contatos precisam ser confirmados. A primeira e mais tradicional forma de confirmação é a troca de cartões impressos enviados pelo correio, parecidos com cartões postais, chamados "CARTÕES QSL". Neles, vão informações como a identificação da Estação, do Radioamador e detalhes do comunicado. Embora a troca de cartões continue intensa para confirmar contatos, existem hoje meios eletrônicos para fazê-lo.


Alguns cartões QSL de radioamadores de diversos
locais do mundo da minha coleção pessoal

Também existem várias competições a nível nacional e mundial ao longo do ano todo, onde os Radioamadores objetivam fazer o maior número de contatos entre si, valendo prêmios (diplomas, placas e troféus).


Conheça um pouco deste campo do radioamadorismo assistindo o vídeo abaixo:



RADIOAMADORISMO NA EDUCAÇÃO



Por seu caráter prático e lúdico, o radioamadorismo é um importante aliado na educação. Por trás de um simples transmissor de rádio montado a partir de sucata e de um contato feito por meio dele, existem conhecimentos práticos e teóricos que podem dar um enfoque totalmente novo a diversas áreas do conhecimento. Professores do ensino fundamental e médio têm utilizado o radioamadorismo para demonstrar tópicos de STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática), o que tem estimulado os estudantes a buscarem profissões nessas áreas.

O caráter prático e lúdico do radioamadorismo é muito útil na educação

Nos Estados Unidos, a ARRL tem um programa para integrar o radioamadorismo à sala de aula, a exemplo de várias outras associações nacionais. Aqui no Brasil, há iniciativas locais neste âmbito já funcionando e está sendo feito um esforço para agrupar e coordenar os vários projetos para tornar mais fácil unir o radioamadorismo à educação brasileira. O QTC da ECRA tem divulgado muitas dessas ações. Clique aqui para uma lista de matérias já publicadas.


COMO TORNAR-SE RADIOAMADOR


Para ser um Radioamador é absolutamente necessário ser autorizado para operar uma estação. E quando se fala em estação, muitos pensam que se trata de uma sala cheia de equipamentos e de enormes antenas do lado de fora. Sim, muitas estações são assim, mas um simples rádio portátil chamado de HT ou "walkie talkie" é, por si só, uma estação. Por isso, nada de comprar um rádio e sair por aí falando sem estar devidamente legalizado!



Alguns exemplos de rádios portáteis, os famosos "HT" ou "walkie talkie"

No Brasil, para operar uma estação de Radioamador (seja uma sala cheia de equipamentos, seja um rádio portátil), é necessário obter dois documentos: o COER, sigla para "Certificado de Operador de Estação de Radioamador", e a Licença de Funcionamento de Estação. Ambos os documentos são concedidos pela Anatel, exclusivamente. O COER habilita a pessoa a operar, enquanto a Licença autoriza o portador do COER a ter sua própria estação.

 O COER - Certificado de Operador 
de Estação de Radioamador


A licença de funcionamento de estação, aonde
consta o indicativo de chamada da mesma

Muitos fazem confusão e não entendem a função destes dois documentos. Por isso, costumo fazer uma analogia com o que é necessário para dirigir um automóvel. Assim, o COER se assemelha à Carteira Nacional de Habilitação (CNH), e a Licença corresponde ao Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV), chamado popularmente de "documento" do automóvel.

Da mesma forma que a CNH habilita o indivíduo a dirigir, o COER habilita a pessoa para operar uma estação. E assim como não pode haver automóvel sem placa nem CRLV, ninguém pode operar uma estação (transmitir via rádio) sem licenciá-la por meio da Licença de Funcionamento. Se o carro tem uma PLACA que o identifica, a estação de radioamador tem um INDICATIVO DE CHAMADA, composto por letras e números, que cumpre o mesmo objetivo. Ao falar no rádio, é obrigatório falar o indicativo de chamada regularmente.

Para obter estes documentos, é necessário ser aprovado em dois exames por parte da Anatel. Um versa sobre Legislação de Telecomunicações e o outro sobre Ética e Técnica Operacional. Cada prova é composta de 20 questões objetivas e é necessário acertar no mínimo 14 delas para ser aprovado em cada exame. Os exames são totalmente gratuitos.

Ao ser aprovado, algumas taxas (de 80 a 110 reais) são cobradas para a emissão dos documentos e após isso a pessoa recebe ambos os documentos COER e LICENÇA por email  estando autorizada a operar. Anualmente, é cobrada uma pequena taxa por parte da Anatel a título fiscalizatório tal e qual o emplacamento do carro. O valor é irrisório, tipicamente abaixo dos 20 reais.


COMO FAZER AS PROVAS


Em primeiríssimo lugar é necessário procurar a Anatel. Ela mantém uma página com orientações sobre todo o processo: https://anatel.gov.br/setorregulado/radioamadorismo. Para saber quando e onde serão aplicadas as provas para Radioamador, procure a sede da Anatel no seu estado clicando aqui. Caso haja disponibilidade de vagas em seu estado, é preciso fazer um cadastro no site da Anatel para poder se inscrever e prestar as provas. Preparamos um vídeo com as instruções para o cadastro e agendamento das provas. assista:





CONECTANDO-SE A OUTROS RADIOAMADORES


É importantíssimo também que você procure uma associação de Radioamadores. Elas lhe darão o suporte necessário para estudar para as provas, bem como começar a planejar a montagem de sua estação e conhecer as inúmeras oportunidades que nosso hobby oferece, sem esquecer de se familiarizar com a turma. Eles também poderão lhe fornecer o material para estudo. Muitas associações também mantém cursos regulares de iniciação ao Radioamadorismo.



Em todos os estados brasileiros e grandes cidades há ao menos uma associação de Radioamadores. A mais importante delas, pela sua antiguidade, reconhecimento nacional e internacional, atuação e abrangência, é a LABRE - Liga de Amadores Brasileiros de Rádio Emissão, que em 2020 completou 86 anos de fundação. Sua sede nacional fica na capital federal mas é representada por administrações estaduais nas capitais de quase todos os estados brasileiros. Seu site é www.labre.org.br.




Além da LABRE, existem outras associações locais e regionais que agregam Radioamadores em todo o país. Experimente buscar no google algo como "RADIOAMADOR" seguido pelo seu estado ou cidade, e provavelmente descobrirá ao menos uma. 

Sede da ECRA em Campina Grande, PB

Em Campina Grande, PB, está localizada a ECRA, Escola e Casa de Radioamadores de Campina Grande, entidade que há quase 57 anos agrega colegas e fomenta o radioamadorismo na sua região. Conheça mais da sua história acessando essa página. A ECRA mantém o Blog do QTC da ECRA, o site no qual foi publicado este texto originalmente: qtc.ecra.club.  QTC significa "mensagem, comunicado".


A propósito, QTC, QSL, QSO e outras siglas que começam com a letra "Q" e que rotineiramente os radioperadores utilizam (não só os radioamadores) compõem um código internacional utilizado em telecomunicações chamado "Código Q".


SOBRE O AUTOR


Meu nome é Alisson Teles Cavalcanti e meu indicativo de chamada é PR7GA. Venho de uma família com quatro radioamadores, dentre eles, meus saudosos avô (José Teles) e pai (Gabmar Cavalcanti) que partiram mas me deixaram o amor pela eletrônica e pela radiocomunicação. Comecei desde cedo no hobby. Aos 14 anos me tornei radioamador, mas antes já me aventurava pelas montagens de transmissores e outros dispositivos eletrônicos. 

Por volta dos 20 anos de idade abandonei o hobby por questões de trabalho e prioridades, retornando somente 20 anos mais tarde. Hoje tenho 43 anos e estou de volta "com todo o gás" como falamos aqui no Nordeste.


Desde 2018 sou responsável pelas matérias e pela transmissão do QTC da ECRA, informativo semanal sobre radioamadorismo e tecnologia que deu origem ao site onde você está neste momento (qtc.ecra.club). Em 2020, assumi a assessoria de comunicação, redes sociais e QTC da LABRE (labre.org.br/qtc), e assim tenho me desdobrado entre minha profissão (produtor musical e professor de música), meu hobby (o radioamadorismo e suas vertentes) e as duas funções que atualmente exerço, na ECRA e na LABRE.

Para falar comigo, mande uma mensagem para pr7gabi@gmail.com ou pelo WhatsApp (83) 98890-3221.






Receba em primeira mão as notícias publicadas no QTC da ECRA!

Se você usa Whatsapp, acesse ZAP.ECRA.CLUB
Se você usa Telegram, acesse TELEGRAM.ECRA.CLUB
Ou siga o QTC da ECRA no Twitter: TWITTER.COM/QTCECRA

Deixe seu comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem